terça-feira, 31 de julho de 2012

"Ricochete" de Sandra Brown [Opinião]

Depois de me ter estreado com "Calafrio", parti com muito entusiasmo para mais uma obra de Sandra Brown.

Neste romance, temos como protagonista o detetive Duncan Hatcher que vai investigar uma morte na mansão do juiz Cato Laird. Aparentemente, Elise, a bela mulher do juiz, matou a tiro um gatuno em legítima defesa.

Mas Duncan tem quase a certeza de que ela está a mentir ou a esconder pormenores. Juntamente com a sua parceira DeeDee, começa a investigar o passado desta mulher, encontrando provas de que ela é uma mentirosa e uma manipuladora.

De repente, Elise desaparece e Duncan não sabe em quem acreditar. A juntar a isto tudo, o detetive sente uma grande atração por Elise, o que faz com que tenha de lutar, não só contra todas as dúvidas relativas à investigação, mas também contra os seus próprios pensamentos e desejos.

Sandra Brown criou mais um enredo que não deixa o leitor indiferente, juntando a investigação policial ao romance. Numa escrita muito fluida, a autora oferece-nos mistério e suspense quase ao virar de cada página.

Confesso que, no início, me custou um pouco a agarrar à ação, coisa que não aconteceu com o livro dela que li anteriormente. No entanto, ao fim de alguns capítulos, já me sentia ambientada com as personagens e muito curiosa com a história, pelo que devorei o livro num instante e fiquei com pena de o ter terminado tão depressa.

Uma das personagens que mais me agradou foi o Duncan; gostei principalmente de o ver lutar contra todos aqueles conflitos internos.

Quanto ao final, esperava uma reviravolta mais surpreendente e que me deixasse boquiaberta, o que não aconteceu, apesar do final ter sido muito bem conseguido.

Em suma, após ter lido dois romances desta autora, posso afirmar que estou muito satisfeita com o contacto que tive com o seu trabalho e vou, com toda a certeza, continuar a acompanhar as suas publicações.

Classificação: 4/5 estrelas

segunda-feira, 30 de julho de 2012

domingo, 29 de julho de 2012

"O Primeiro Amor" de Sophie McKenzie [Opinião]

O Primeiro Amor é o primeiro título de uma série com a personagem Flynn.

No livro, conhecemos River e suas colegas adolescentes que vão a um casting escolar para a representação da peça Romeu e Julieta. River anseia conseguir o papel de Julieta mas, mais do que isso, deseja apaixonar-se e experimentar o amor.

Durante os ensaios, começa a apaixonar-se por Flynn, o rapaz que ficou com o papel de Romeu. À medida que o vai conhecendo, apercebe-se de que ele é um adolescente problemático, cheio de segredos e oriundo de uma família desestruturada. Será ele capaz de oferecer-lhe o amor que ela deseja?

Sophie McKenzie consegue colocar por escrito todos os medos, dúvidas, anseios, desejos e sentimentos que invadem os adolescentes durante esta fase da vida e, principalmente, durante as primeiras paixões.

A linguagem é simples e este romance é mais dirigido ao público juvenil. Mesmo assim, qualquer um de nós conseguirá identificar-se facilmente com estas personagens e recordar os seus próprios 17 anos e as dolorosas primeiras paixões.

Gostei da história que, além de ser descontraída, também se lê num instante.

Classificação: 3/5 estrelas

sexta-feira, 27 de julho de 2012

"O Último Capítulo" de Edmund Power [Opinião]

Já tinha pegado neste livro há vários anos, na biblioteca. Mas, na altura, devo ter visto outro que me chamou a atenção e acabei por pousar este. Há uns dias, voltei a encontrá-lo e decidi trazê-lo comigo, finalmente.

A sinopse interessou-me desde o início. É a história de Brendan Stokes, um escritor falhado que vê os seus livros serem recusados vezes sem conta pela editoras. Certo dia, encontra o cadáver do vizinho e, junto ao corpo, uma obra-prima acabada de escrever. É então que a sua vida muda, quando ele finge ser o autor do manuscrito e começam a chegar contratos milionários.

Brendan desenvolve uma teia de mentiras tão extensa que ele próprio tem dificuldade em manter a história. E rapidamente compreende que ao roubar um livro terá também que roubar vidas.

Este romance, contado na 1ª pessoa, apresenta uns primeiros capítulos calmos, sem muita ação. Os diálogos são frequentes e a história vai avançando facilmente, sem se tornar monótona. A meio do livro, surge um capítulo que eu considerei excelente e, a partir daí, a páginas passam a correr.

O que eu mais gostei neste romance (que não sei se se poderá classificar como um romance policial) foi a evolução da teia de mentiras. A cada capítulo, ela adensava-se mais e eu dava comigo a pensar: "mas como é que ele se vai safar desta?" ou "é agora que ele vai ser apanhado!". Mas, de certa forma, ele conseguia levar a melhor, justificando uma mentira com outras mentiras e assim sucessivamente.

Eu, como leitora, só queria um final para esta história, um final evidente, que acaba por acontecer.

Este romance mostra-nos até onde uma pessoa pode ir e o que é capaz de fazer quando agarra uma oportunidade que não pode ser desperdiçada.

Classificação: 3.5/5 estrelas

terça-feira, 24 de julho de 2012

"Escândalo" de Therese Fowler [Opinião]

"O amor era um prazer e um perigo em simultâneo, uma força da natureza que os seres humanos imaginavam ingenuamente poder controlar." (p. 245)

Amelia e Anthony são dois adolescentes apaixonados. O pai de Amelia não permite que ela namore, o que leva os jovens a manterem o seu namoro em segredo. Ambos planeiam esperar que ela faça 18 anos e depois contar aos pais dela que estão juntos. Mas acabam por ser expostos mais cedo do que esperavam.

Um dia, o pai de Amelia descobre no computador da filha fotografias de Anthony nu. Então, acusa-o de ser um predador sexual e o jovem é preso. A partir deste momento, as vidas dos jovens e daqueles que os rodeiam começam a perder o controlo.

Quando aparece um procurador empenhado em transformar este caso no escândalo das sms sexuais, divulgado a nível nacional, Amelia e Anthony estão dispostos a tudo para acabar com a loucura em que a situação se transformou.

Este livro é um autêntico mar de emoções. Desde o início que senti empatia pelos dois jovens e a sua história de amor. Depois surgiu a indignação e a frustração quando o pai de Amelia entrou em cena. Esta personagem está tão bem construída que só é possível odiá-la.

A escrita é fluida e apelativa, embora apresente algumas descrições que abrandam um pouco a história. É um romance completamente envolvente e difícil de largar; o leitor vira cada página com curiosidade e torcendo sempre para que os protagonistas consigam ficar juntos e que o amor prevaleça.

Gostaria ainda de salientar que o livro apresenta alguns erros de troca dos nomes das personagens e diálogos por vezes confusos. Este aspeto não prejudica muito a leitura, mas houve momentos em que precisei de reler algumas partes para não me perder. A revisão deveria ter sido feita mais atentamente.

Em suma, agradou-me ter conhecido uma nova autora e este é um romance que recomendo. Acredito que a história de amor entre estes dois jovens vai continuar a conquistar muitos leitores!

Classificação: 4/5 estrelas

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Próximas leituras #2

Ir à biblioteca com o meu irmão significa que venho abastecida de livros. Estes foram os que requisitamos na semana passada.

Quanto a estes dois, o primeiro foi comprado na feira do livro e o segundo vai-me ser emprestado.

Já tenho livros para me fazerem companhia durante todo o mês de agosto!

sábado, 21 de julho de 2012

"Guerra Mundial Z" de Max Brooks [Opinião]

Agradeço desde já ao meu irmão que acedeu bondosamente a partilhar aqui no blog a sua opinião deste livro. Aqui fica ela:

“Perdemos muito mais do que apenas pessoas, quando as abandonámos às mãos dos mortos. É a única coisa que direi.”

Desde o foco de origem da infecção até ao pós-guerra, passando pelas imensas batalhas travadas entre os mortos e os vivos, Max Brooks conta-nos a história de uma guerra fictícia entre os humanos e os mortos-vivos através de relatos de pessoas espalhadas por todo o mundo. Sejam oficiais do Exército ou simples sobreviventes que tiveram sorte, cada entrevistado dá-nos a conhecer a sua experiência no terror que foi a Guerra Mundial Z, que dizimou grande parte do mundo.
Não se trata de um livro normal em que o narrador apresenta a história de forma fluida. Em vez disso, o narrador apenas tem o papel de introduzir o entrevistado. Se ainda não se sentiram curiosos em pegar no livro, peguem pelo menos por causa da forma original como a história é contada.
Não se trata também de um livro que heroifica um personagem ou um grupo de personagens, como se vê em muitos filmes e séries, mas que acaba por heroificar a humanidade em si e a geração que viveu esta guerra – a geração que conseguiu travar a ameaça dos zombies.

Lançado em 2006 e editado em Portugal em 2010, “Guerra Mundial Z” já tem uma adaptação para cinema prevista para o próximo ano. É uma obra imperdível para os amantes de zombies e aconselhável também para quem, por outro lado, não se interessa tanto pelo assunto.

Classificação: 5/5 estrelas

sexta-feira, 20 de julho de 2012

"Feitiços de Amor" de Barbara Bretton [Opinião]

Feitiços de Amor é o primeiro volume de uma trilogia passada em Sugar Maple, uma vila encantada habitada por todo o tipo de seres mágicos, como feiticeiros, fadas, vampiros, trolls, entre outros.

Chloe, a proprietária de uma loja de tricô, é a única naquele lugar que não tem poderes. Ela precisa de se apaixonar para receber os poderes mágicos e assim ser capaz de proteger aquela terra, dado que ela é a última descendente de uma longa dinastia de feiticeiros que tem vindo a proteger Sugar Maple.

Enquanto as suas amigas lhe tentam arranjar pares românticos com esperança que ela se apaixone, um crime acontece na vila e um polícia, Luke MacKenzie, é destacado para investigar o ocorrido. E, ao contrário do que todos esperavam, Chloe acaba por se apaixonar por Luke, o único homem (cem por cento humano) com quem ela não pode ter um futuro.

Este livro é de muito fácil leitura, a escrita é simples e fluida, embora demasiado juvenil. Confesso que esperava outro tipo de escrita. Apesar de ter terminado rapidamente a leitura, não me senti completamente envolvida pela história, que demorou bastante tempo a convencer-me. Gostei de algumas personagens e diverti-me a imaginar muitas das cenas de magia.

O crime e a investigação podiam ter sido, na minha opinião, mais explorados; achei-os muito parados e nada envolventes. Em contrapartida, gostei muito dos capítulos finais e do final desta história. Vou querer ler os seguintes livros da trilogia pois tenho curiosidade em acompanhar a história e também porque quero dar outra oportunidade à autora, que me deixou com uma opinião ainda um pouco ambígua.

Classificação: 3/5 estrelas

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Próximas leituras #1

Inicio aqui a primeira rubrica do blog onde, de vez em quando, vos vou mostrar as minhas próximas leituras. Estes livros são todos emprestados, um por uma amiga e os outros três através do Clube BlogRing do My Imaginarium, do qual faço parte.

Dois deles ainda não estão comigo, mas chegarão em breve.
São então estas as leituras que me vão entreter nos próximos tempos. Fiquem atentos às opiniões que publicarei depois.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

"As Regras da Sedução" de Madeline Hunter [Opinião]

Este é o primeiro livro da série sobre os Irmãos Rothwell, da qual já li o terceiro, “Jogos de Sedução”. Podem ser lidos separadamente mas existe uma história de fundo que se torna mais interessante se for acompanhada desde o início.

Neste romance, conhecemos a história de Hayden Rothwell e Alexia Welbourne.
Hayden entra repentinamente na vida de Alexia, trazendo a notícia da ruína do seu primo Timothy. Alexia culpa Hayden pela sua desventura, dado que sem dote, não tem qualquer esperança de algum dia se casar. Assim, desenvolve-se entre ambos uma relação muito tensa e incómoda.
Um dia, agindo por impulso, Hayden rouba a inocência a Alexia e é aqui que tudo muda, pois as regras da sociedade obrigam-na a casar com o homem que ela acredita ter arruinado a sua família.

Neste maravilhoso romance são-nos apresentadas duas personagens com um forte carácter, cada uma com os seus segredos e conflitos por resolver. À medida que acompanhamos o desenrolar da história, vamos encontrando outros ingredientes, como traições, mortes, paixão e sedução, ciúme e mistério, que tornam este livro tão viciante.

A escrita de Madeline Hunter é extremamente envolvente e cativa-nos a cada página que viramos. As descrições eróticas transbordam sensualidade e não é fácil permanecer indiferente às emoções que os protagonistas vivem ao longo de todo o livro, que me deixou com um grande sorriso e uma lágrima no olho.

Após esta terceira leitura, admito que estou 100% conquistada e só desejo ler os restantes romances da autora e esperar que sejam publicados mais.

Classificação: 5/5 estrelas

sábado, 14 de julho de 2012

32ª Feira do Livro

Não podia deixar de partilhar a 32ª Feira do Livro de Viana do Castelo, que se inicia hoje.
Ainda não sei quando poderei lá ir mas vou, com toda a certeza, fazer uma visitinha.


A 32ª edição da Feira do Livro de Viana do Castelo realiza-se mais uma vez no Jardim Público. Do programa, para além da presença dos diversos editores distribuídos por setenta stands que proporcionarão ao público vianense o contacto com as mais recentes edições, destaque para a animação infantil e musical, para o lançamento de livros (com sessões às 18h00) e a realização de diversos painéis temáticos, na Sala Couto Viana, da Biblioteca Municipal, pelas 22h00.

Horário da Feira: diariamente, das 17h00 às 24h00.
Organização: Câmara Municipal de Viana do Castelo e Centro Cultural do Alto Minho.

Mais informações aqui.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

"Tacada Mortal" de Harlan Coben [Opinião]

Esta foi a minha terceira leitura de Harlan Coben, um autor que me agrada cada vez mais, à medida que vou descobrindo os livros dele.

Tacada Mortal é o quarto livro numa série cujo protagonista é Myron Bolitar, um agente desportivo. Como era o único da série que havia na biblioteca, requisitei-o, mesmo não tendo lido os anteriores.

Este policial, cujo plano de fundo é o mundo do golfe, começa com o rapto do filho de Linda Coldren, uma superestrela do golfe, no decorrer do Open dos Estados Unidos. Para Myron Bolitar, a sua prioridade é desvendar o mistério e encontrar o rapaz desaparecido. Desta forma, vai acabar por entrar num mundo de dinheiro, poder, mentira… e crime, onde as corrupções do passado também acabarão por ser descobertas.

Já me habituei à escrita fluida e direta deste autor, com muitos diálogos que ajudam a história a avançar mais depressa. Os capítulos são muito pequenos, o que significa que, quando terminamos um, queremos ler o seguinte, até não conseguirmos parar.
No início achei o enredo um pouco aborrecido, dado que girava tudo à volta do golfe, mas depois comecei a sentir-me mais cativada e, a partir de meio do livro, já estava completamente presa à história.

Myron Bolitar é também uma personagem muito peculiar, com um humor por vezes parvo. Foi a principal diferença que encontrei entre ele e outros investigadores criados pelo autor.

Em suma, este é mais um policial de leitura compulsiva; existem revelações a cada página que viramos e quase todas as personagens acabam por tornar-se suspeitas. No fim, não é deixado nenhum pormenor por explicar, tudo faz sentido e tudo está interligado.

Classificação: 4/5 estrelas

domingo, 8 de julho de 2012

"Jogos de Sedução" de Madeline Hunter [Opinião]

Este foi o segundo livro de Madeline Hunter que li, tendo-me estreado com o romance “Mil Noites de Paixão”.

Este é terceiro numa série de quatro livros sobre os irmãos Rothwell, mas não senti qualquer problema em ter começado por este. Sei que nos outros livros é abordada a história de personagens que já conheci neste livro, e os anteriores explicam certamente melhor o que aconteceu antes.

O romance começa com Roselyn Longworth, uma dama da alta sociedade cuja reputação foi arruinada devido aos crimes do irmão, a ser leiloada pelo Lord Norbury, um futuro conde extremamente detestável.
Esta situação humilhante é apaziguada quando Kyle Bradwell oferece uma fortuna por ela. Mas quem será este homem misterioso tão determinado a ajudá-la? Quais serão os seus verdadeiros motivos?

Tal como Rose, também o leitor vai sentir curiosidade em responder a estas e outras questões e querer descobrir o passado das personagens.
Confesso que este livro me escorregou das mãos; a leitura é tão envolvente que as suas 300 páginas voaram num instante. A história está muito bem desenvolvida e os segredos vão sendo revelados a um ritmo em que é impossível parar de ler. As personagens despertam facilmente a nossa empatia ou desprezo, como é o caso de Lord Norbury, um homem tão repugnante que o detestei desde as páginas iniciais.

A autora continua a surpreender-me com a sua escrita tão cuidadosa, agradável e viciante, com as descrições, os diálogos e as deliciosas cenas de amor entre os protagonistas. Gostei muito e mal posso esperar por ler os outros livros desta série!

Classificação: 4/5 estrelas

quarta-feira, 4 de julho de 2012

"Tabu" de Jess Michaels [Opinião]

Quis ler este livro por várias razões: primeira, mal o vi, a capa atraiu-me imediatamente (estas capas da Quinta Essência andam cada vez mais irresistíveis); segunda, a sinopse e o tema do amor proibido interessaram-me; e terceira, li boas críticas acerca do romance e da própria autora que tem sido apelidada de «estrela do romance sensual».
Desta forma, comecei a leitura com grande expectativa.

Há quatro anos atrás, Nathan e Cassandra planearam fugir juntos. Porém, Cassandra não apareceu nessa noite, deixando Nathan devastado com o abandono.
Agora que regressou a Londres, Nathan traz consigo um insaciável desejo de vingança. Rapidamente encontra a mulher que o traiu, chantageia-a e força-a a um romance ilícito. Mas, ao reacenderem a paixão que antes os consumiu, ficam vulneráveis ao passado que ameaça destruir novamente as suas vidas.

Neste romance conhecemos duas personagens amarguradas pelo passado e por um amor perdido. Cassandra é uma costureira muito procurada em Londres e criadora de «brinquedos» íntimos; é uma mulher forte devido ao que sofreu no passado, mas ainda vive com esse sentimento de culpa e perda. Nathan é um conde arrogante e mimado, com muita raiva e dor dentro de si.
Com duas personagens tão conturbadas, este romance tinha os ingredientes certos para jogar com as emoções e não só com o prazer físico.

De facto, além das cenas de cariz erótico, encontramos realmente algum apelo às emoções e é-nos possível sentir a dor das personagens (eu empatizei mais com a Cassandra e continuo a achar o Nathan um parvo que não merecia aquela mulher).
Numa escrita maravilhosa e que se lê muito bem, Jess Michaels mistura amor, traições, segredos, vingança e um grande desejo físico, atraindo e surpreendendo o leitor do início ao fim.

Decididamente, e embora eu não tenha ainda muita experiência com os romances sensuais, este merece uma pontuação alta. Gostei mesmo muito e fica o desejo de continuar a ler este género, bem como procurar outros romances da autora.

Classificação: 4.5/5 estrelas