terça-feira, 17 de outubro de 2017

"Menina Boa, Menina Má" de Ali Land [Opinião]


O romance Menina Boa, Menina Má foi a minha estreia com a autora Ali Land, e quero desde já agradecer à editora Suma de Letras pela gentil oferta deste exemplar.

Menina Boa, Menina Má dá-nos a conhecer Annie, uma jovem de 15 anos que entrega a sua mãe - uma assassina em série - à polícia. Quando é colocada numa família de acolhimento, com um novo nome (Milly), espera que isso signifique um novo começo de vida.
Mas o passado não dá descanso, os segredos não a deixarão dormir e Milly vai ter de decidir se será uma menina boa ou uma menina má.

Este livro conseguiu prender-me logo desde o início, com Annie a entregar a mãe à polícia. As assassinas em série são raras na literatura e isso despertou de imediato a minha ânsia de conhecer melhor esta personagem.

Milly é colocada numa família de acolhimento, enquanto aguarda o julgamento da mãe. A família é composta por Mike (pai e psicólogo que acompanhará Milly), Saskia (uma mulher nada segura no seu papel de mãe) e Phoebe (a típica adolescente bem sucedida na escola, mas com problemas com os pais e irritada com o facto deles continuarem a acolher jovens).

Milly vai para a escola, procurando fazer uma vida normal, mas não terá a vida facilitada dado que vai começar a sofrer bullying por parte de Phoebs. Esta é uma temática que me interessa bastante e penso que a autora conseguiu abordá-la muito bem, dando-lhe um papel importante na narrativa.

Este é um livro que aborda sobretudo questões familiares e que nos faz refletir acerca do que é a maternidade. Milly cresceu com uma mãe que era tudo menos mãe, não cumpria a sua principal função de proteger e amar a criança. Percebemos que Milly não era apenas espetadora dos crimes que a mãe cometia, era também ela uma vítima.

O final não foi de todo previsível, mas acontecimentos ao longo do livro fizeram-me começar a perceber para que lado ia pender o comportamento de Milly.

No geral, é um thriller interessante, perturbador e de grande sensibilidade, que certamente ficará na recordação dos leitores.

Classificação: 4/5 estrelas

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

"O Bibliotecário de Paris" de Mark Pryor [Divulgação]

Título Original: The Paris Librarian
Autor: Mark Pryor
Edição: 2017
Editora: Clube do Autor
Páginas: 328
PVP: 15,75€


«Por favor, acrescentem Mark Pryor à lista da autores a seguir.»
Lee Child


«A chave pode estar enterrada no passado, mas o raciocínio de Marston, à semelhança de Sherlock Holmes, leva-o até ao verdadeiro assassino.»
Kirkus


Sinopse:

A morte de um oficial nazi durante a ocupação de Paris pode ser a chave para resolver um mistério do presente.

O diretor da Biblioteca Americana em Paris é encontrado morto numa sala trancada. A polícia conclui que o homem morreu de causas naturais, porém o responsável pela segurança da Embaixada dos EUA tem a certeza de que algo errado se passou. A sua investigação leva-o até à cena de um crime cometido durante a Segunda Guerra e as suas descobertas vão surpreender tudo e todos.

Com Paris como pano de fundo, esta é uma história envolvente e imprevisível que evoca o período da Resistência francesa durante a ocupação nazi e alguns dos crimes cometidos em nome da liberdade.

Um mistério para amantes de livros
e um livro para amantes de mistérios.

Sobre o autor:

MARK PRYOR nasceu em 1967, em Inglaterra, mas reside atualmente nos Estados Unidos, para onde se mudou em 1994, com a mulher e os três filhos.

Pryor foi jornalista durante alguns anos, e, já nos Estados Unidos, frequentou o curso de jornalismo na universidade da Carolina do Norte, licenciando-se depois em Direito pela universidade Duke. Atualmente trabalha no gabinete do Procurador-Geral Distrital em Austin, Texas.

Pryor escreve regularmente sobre o mundo do crime e os casos reais que enfrenta no seu dia a dia. O Livreiro foi o seu primeiro romance com Hugo Marston, personagem que conquistou os leitores e a crítica.

domingo, 15 de outubro de 2017

Postais pelo Mundo | Greetings from... Índia

Hoje venho atualizar a coleção Greetings from..., que ganhou recentemente um novo postal. Fiquei super entusiasmada porque me foi oferecido como postal de agradecimento, e principalmente por ser da Índia, um país que me desperta um enorme fascínio. Devo dizer-vos que este fascínio começou depois de ler o livro Sob um Céu de Mármore Branco, de John Shors, há cerca de sete anos.

 
Podem clicar na imagem se desejarem ler com mais atenção os factos acerca deste país.

A curiosidade que destaco é que a Índia tem a maior rede de correios do mundo.
Destaco ainda o pavão-indiano (imagem abaixo), considerado a ave nacional da Índia. 
 
 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Dia das Compras na Net

Aparentemente, hoje, dia 13 de outubro,
é o Dia das Compras na Net.

A WOOK decidiu oferecer outra promoção tentadora aos amantes de livros:

20% de desconto + portes grátis!



Já sabem, é só clicar na imagem!

Não sei quanto a vocês, mas eu acho que me vou manter afastada da internet o resto do dia!!

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

"Manual de um Homicídio" de Gonçalo JN Dias [Divulgação]

Após a publicação de O Bom Ditador - O Nascimento de um Império, que obteve algum sucesso no mercado independente português e brasileiro, o autor Gonçalo JN Dias traz-nos agora um policial.


Sinopse:

Marina, uma mulher de 38 anos com um relacionamento desgastado, apaixona-se por um colega de trabalho, casado e com um filho. Os dois têm uma relação tórrida. Um deles comete um assassinato.

Oscar, um polícia de homicídios, é encarregue do caso. É um homem dedicado ao seu trabalho e à sua família, que goza e brinca com as típicas series policiais norte-americanas.


Se ficaram curiosos com este livro, o autor tem boas notícias para vocês:

- Entre os dias 12 a 16 de outubro, o livro estará disponível gratuitamente, em qualquer formato digital, tanto na Amazon como no blog do autor.

- Para quem preferir em formato papel, está a decorrer um sorteio no Goodreads até ao dia 5 de novembro.

Não percam a oportunidade de conhecer este autor português.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Palavras Sentidas


"Quem me dera que quebrar os laços que mantenho com a pessoa que me magoou fosse tão fácil como eu costumava julgar que seria. Impedir o coração de perdoar alguém que se ama é, na verdade, muito mais difícil do que simplesmente perdoar essa pessoa."

Isto Acaba Aqui
Colleen Hoover

terça-feira, 10 de outubro de 2017

"Não Digas Nada" de Brad Parks [Divulgação]

Título Original: Say nothing
Autor: Brad Parks
Edição: 2017
Editora: Suma de Letras
Páginas: 520
PVP: 19,90€

«Inteligente, com ritmo e uma série de reviravoltas à medida que a tensão aumenta até um clímax emocionalmente imprevisível.»
The Times

«Excelente - começa com um estrondo e vai ficando cada vez mais tenso. Não Digas Nada demonstra que Parks é um escritor de qualidade no seu melhor.»
Lee Child

«As páginas finais são surpreendentes e profundamente emocionantes. Um novo nível no thriller
The Washington Post

Sinopse:

Quanto pode custar o silêncio?

Numa quarta-feira como outra qualquer, o juiz Scott Sampson está a preparar-se para ir buscar os filhos gémeos de seis anos para os levar à aula de natação. A sua mulher, Alison, envia-lhe uma mensagem: mudança de planos, ela tem de os levar ao médico. Assim sendo, Scott regressa para casa mais cedo. Mas quando, mais tarde, Alison chega, está sozinha - sem Sam, sem Emma - e nega ter conhecimento da mensagem...

O telefone toca: uma voz anónima diz-lhes que o juiz deve fazer exactamente o que lhe é dito num caso de tráfico de droga que está prestes a ser julgado. Se recusar, as consequências para as crianças serão terríveis.

Para Scott e Alison, a chamada do sequestrador é apenas o começo de uma tentativa tortuosa de chantagem, engano e terror. Não haverá nada que os detenha para recuperarem os seus filhos, não importa a que custo...

Um romance intenso que explora o lado mais obscuro do Mal, pondo a nu as fragilidades da natureza humana perante a ameaça da perda mais dolorosa.

Sobre o autor:

BRAD PARKS foi o único autor a ganhar o Shamus, o Nero e o Lefty Awards, três dos prémios mais prestigiantes da ficção de crime. Trabalhou como jornalista para o The Washington Post e o The Star-Ledger e vive na Virgínia com a mulher e os dois filhos.

Reconhecido autor de séries de detetives, o seu primeiro livro que não faz parte de nenhuma série, Não Digas Nada, está a ser tão aplaudido como os seus sucessos anteriores.

domingo, 8 de outubro de 2017

Postais pelo Mundo | Bélgica (1)

Aqui está o meu primeiro postal vindo da Bélgica.

Este postal deixou-me confusa, nem sempre é fácil pesquisar sobre a temática do postal.
Parece-me ser uma fotografia de uma paisagem, com a Witseboom - uma árvore que ficou conhecida por ser usada na popular série Witse.
De acordo com a legenda do postal, esta árvore e as áreas circundantes são protegidas como um monumento.


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

"Mortes Naturais" de Michael Palmer [Opinião]


Mortes Naturais é um thriller médico de Michael Palmel, autor que eu não conhecia até este livro me ter sido emprestado.

Neste thriller, uma série de mortes por hemorragia começam a ocorrer em mulheres grávidas, durante o trabalho de parto, no Centro Médico de Boston, e os casos levantam suspeitas e necessitam de ser investigados.

É um livro que se lê bem, embora haja partes mais descritivas do que outras e no início me ter parecido que a ação demorava a acontecer. No entanto, a história vai conseguindo manter a atenção do leitor.
A narrativa apresenta bastantes pormenores médicos, resultantes da experiência do autor como médico, o que me agradou bastante. Contudo, não deixa de ser assustador por envolver mulheres grávidas a sofrer todas aquelas complicações, algumas acabando mesmo por morrer.

Também gostei imenso do aparecimento da investigadora epidemiológica. Embora a ciência não seja o meu forte, foi interessante ver como ela desenvolveu toda a investigação em torno do caso.

No geral, é uma leitura que entretém, que deixa a leitor desconfiado, sem saber em quem pode confiar e com muita vontade de desvendar o mistério. Será uma boa leitura para quem aprecia thrillers médicos.

Classificação: 3/5 estrelas

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Palavras Sentidas


"Talvez os segredos e as mentiras fizessem parte da vida; talvez todas as pessoas mentissem a si mesmas sobre alguma coisa ou tivessem algo a esconder."

Se Eu Fosse Tua
Meredith Russo

terça-feira, 3 de outubro de 2017

"Insurgente" de Veronica Roth [Opinião]


Insurgente é o segundo volume da série Divergente, de Veronica Roth.

Quatro anos após ter lido o primeiro volume, iniciei-me na leitura do segundo e talvez tenha sido por isso que senti que a leitura me custou mais. Já não me lembrava tão bem dos acontecimentos do final do primeiro livro e não me sentia tão próxima das personagens.

Este livro inicia-se com as problemas que surgiram após o livro anterior. As fações estão em choque, à procura de aliados, e a guerra aproxima-se.

Durante toda a confusão e os perigos que surgem, Tris tenta procurar o seu caminho, lidar com a culpa e a perda. É uma personagem que se mostra um pouco desprendida da vida, tendo atitudes que a colocam em risco. Por um lado, compreendo perfeitamente que ela se sentisse assim, mas por outro, gostava de ter visto mais daquela garra que a caracterizava no volume anterior e que, desta vez, só se manifestou nos últimos capítulos do livro.
O desenvolvimento do romance de Tris e Tobias foi uma parte importante da narrativa, tendo-se tornado algo mais maduro com a aproximação de ambos.

A escrita da autora continua impecável, super fluida e com bastante ação. Há sempre alguma coisa a acontecer, pelo que o livro é muito dinâmico. O que mais me entusiasmou foi poder saber mais acerca dos Divergentes e, principalmente, aquele final que me deixou mais curiosa e com as expectativas elevadas para o terceiro volume da série. Espero poder lê-lo brevemente!

Classificação: 3/5 estrelas

Livro do Mês: Outubro

Mais um mês que terminou e chegou o momento de fazer a análise das minhas leituras.

Setembro foi um mês de opostos: tive algumas leituras rápidas e outras que se prolongaram quase ao longo de todo o mês. Consegui ler 5 livros e 1 antologia de contos.

No que diz respeito aos géneros literários, li dois thrillers, um romance de época, um contemporâneo e um de ficção científica (distopia). Metade das leituras foram e-books.

Decidi eleger o livro que me provocou mais emoções, que mais me fez pensar e que me deixou boquiaberta com o final. É uma história realmente diabólica.

LIVRO DO MÊS


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Aquisições: Setembro

O mês de setembro foi bastante mais calmo no que diz respeito a aquisições literárias, em comparação com os anteriores meses de verão.
Vamos ver o que recebi?

- No início do mês, fomos a uma Feira de Velharias e o meu pai ofereceu-me todos os livros da trilogia Hannibal Lecter! Foi bastante generoso da parte dele, dado que nesse dia eu não tinha encontrado nada na Feira que me parecesse valer a pena.
Como acompanhei a série televisiva, espero gostar ainda mais dos livros.

FEIRA DE VELHARIAS


- Da editora Suma de Letras (Penguin Random House Grupo Editorial) chegou esta oferta, que me deixou curiosa. Está a ser a minha leitura atual.

OFERTA EDITORA


- Por fim, não resisti aos Momentos WOOK e aproveitei o desconto para adquirir este livro que despertou a minha curiosidade desde a sua publicação. Será realmente assim tão bom?

COMPRA


Espero que o vosso mês também vos tenha trazido novos e interessantes livros. Partilhem comigo o que adquiriram!

domingo, 1 de outubro de 2017

Postais pelo Mundo | Alemanha (20)

Hoje venho mostrar-vos mais um postal oficial que recebi da Alemanha.

Representa uma fotografia do Nationalpark Unteres Odertal - uma reserva natural partilhada pela Alemanha e a Polónia.



sábado, 30 de setembro de 2017

Procuram-se leitores beta


Olá a todos! Estou à procura de 2 ou 3 pessoas que pudessem fazer uma leitura beta de um conto que escrevi.

Gostava de ter algumas opiniões e perceber qual a sua aceitação por parte dos leitores, de forma a poder melhorá-lo o máximo possível.

O conto, dentro do género de romance contemporâneo, tem cerca de 40 páginas.
Quem tiver alguma disponibilidade para ler e dar sugestões, pode contactar-me através do e-mail: aluznotunel@gmail.com.

Ficarei muito grata pela ajuda.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Palavras Sentidas


"Amizade não se mede pelo tempo que conheces uma pessoa, mas sim por quem entra na tua vida, diz «podes contar comigo» e prova que é verdade."

Só Nós Dois
Nicholas Sparks

Momentos WOOK

Hoje é dia de momentos WOOK!

Aproveitem o dia para comprar aquele livro especial da vossa lista de desejos. Eu penso que já escolhi o meu!

Cliquem na imagem e escolham os vossos livros!

terça-feira, 26 de setembro de 2017

"Confissões" de Kanae Minato [Opinião]


Confissões foi um livro que despertou a minha atenção devido a algumas opiniões muito positivas de leitores e bloggers portugueses, e foi essa a principal razão de o ter comprado.

A capa do livro é hipnotizante e promete, desde logo, uma história diabólica. A sinopse resume muito bem a trama deste livro: uma menina de quatro anos é encontrada afogada na piscina da escola. A sua mãe, professora, no última dia de aulas, no discurso de despedida à turma, acusa dois alunos de lhe terem assassinado a filha e promete uma vingança pessoal verdadeiramente atroz.

O livro inicia-se com o discurso da professora, onde nos é explicado o sistema educativo no Japão, que achei bastante interessante, e onde são feitas algumas reflexões acerca da desresponsabilização dos jovens pelos seus crimes, sejam de que natureza for. Segue-se uma explicação detalhada do crime, pela voz da professora, o que desde logo me arrepiou.

Os capítulos seguintes são todos narrados por personagens diferentes, o que nos permite conhecer diversas perspetivas desta história. Esta estrutura resultou muito bem e deu contornos mais sombrios à narrativa, dado que tivemos acesso ao testemunho dos próprios jovens e pudemos compreender as razões que os levaram a cometer um crime tão hediondo.

A vingança da professora foi, de facto, implacável e atroz e aquele final deixou-me boquiaberta. Obviamente não concordo que se deva proceder desta forma, não é com a vingança que resolvemos os nossos problemas nem vingamos os nossos ente-queridos, mas, ao mesmo tempo, o que a professora fez foi tão cruel, tão inqualificável que não resisti a sentir alguma satisfação. Acho que tenho um qualquer bichinho diabólico dentro de mim e, por isso, este livro arrebatou-me.

Concluindo, foi uma leitura que adorei e que muito possivelmente quererei reler no futuro.
Se são fãs de histórias sombrias e perturbadoras, então esta é uma leitura a não perder!

Classificação: 5/5 estrelas

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

"Menina Boa, Menina Má" de Ali Land [Divulgação]

Título Original: Good Me Bad Me
Autora: Ali Land
Edição: 2017
Editora: Suma de Letras
Páginas: 384
PVP: 18,90€

«Um ritmo deliberado e uma trama habilmente tecida conspiram para criar uma leitura viciante. Um thriller psicológico perturbante, que é, ao mesmo tempo, uma exploração devastadora dos danos causados pelo trauma infantil.»
Publishers Weekly
 
«Perturbante. Mantém a nossa atenção desde a primeira página. Tudo é de louvar neste romance.»
Guardian

«Incómodo, chocante e viciante. Coloque este livro no topo da sua pilha de leitura.»
Sun

Sinopse:

Quando Annie, 15 anos, entrega a sua mãe à polícia, espera um novo começo de vida — mas será que podemos realmente escapar ao nosso passado?

A mãe de Annie é uma assassina em série. Annie ama a sua mãe, mas a única maneira que tem de a fazer parar é entregá-la à polícia.

Com uma nova família de acolhimento e um novo nome — Milly —, espera um novo começo. Agora pode ser quem quer. Mas, com o julgamento da mãe à porta, os segredos do passado de Milly não vão deixá-la dormir…

Quando a tensão sobe, Milly vai ter de decidir: será uma menina boa? Ou uma menina má? Porque a mãe de Milly é uma assassina em série. E ela é sangue do seu sangue.

Menina Boa, Menina Má é um thriller extraordinário, a voz de Milly é hipnótica, perturbadora e viciante. Trata-se de uma trama singular que mantém o leitor em suspense constante, ao mesmo tempo que faz com que se coloque questões tão terríveis quanto emocionantes. Pode uma criança superar eventos traumáticos? O que é que realmente constitui a nossa identidade?

Sobre a autora:

ALI LAND, licenciada em Saúde Mental, trabalhou durante dez anos como enfermeira de saúde mental infantil e adolescente em hospitais e escolas do Reino Unido e Austrália. Agora, dedica-se a tempo inteiro à escrita e vive em Londres.

A estreia literária de Ali Land, Menina Boa, Menina Má, tem tido uma excelente receção por parte do público e da crítica nos países onde já foi publicado, subindo aos primeiros postos das listas de mais vendidos. O livro será publicado em mais de 20 países.

domingo, 24 de setembro de 2017

Postais pelo Mundo | Rússia (17)

Aqui está mais um postal oficial que recebi recentemente.

Veio da Rússia e apresenta uma pintura intitulada Russian beauty, da autoria de V. Nagornov. É baseada na pintura original de K. Makovsky: Tsarevna.


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Já terminei há algum tempo a leitura do livro Corações na Escuridão e aqui está a minha resposta ao desafio proposto pela Silvana. Achei-o muito engraçado e foi bem fácil saber o que responder.

DESAFIO:

Socorro! Fiquei presa no elevador!

Makenna e Caden ficaram presos num elevador. Esse momento faz com que se passem a conhecer melhor e partilhar confidências.

Não, não quero que tenhas um encontro escaldante dentro de um elevador. Quero que tenhas um encontro cultural.
Imagina que ficaste presa num elevador juntamente com o teu escritor(a) preferido vivo ou morto (sim, ele pode vir em espírito que eu não me chateio nada). Qual seria? Como é que seria esse momento? O que gostarias de discutir e lhe perguntar?

A MINHA RESPOSTA:

Fiquei presa no elevador. Estava tão absorta a responder a uma sms que só me apercebi de que algo tinha acontecido quando deixei de sentir o leve movimento do elevador. Levantei a cabeça e, embora me sentisse preocupada, fiquei aliviada por não estar sozinha. O indivíduo mudou a mala de uma mão para a outra e depois olhou para mim, sorrindo-me. Devo ter deixado de respirar nesse momento, ao mesmo tempo que fazia figura de parva a olhar para ele embasbacada. Não, não era um homem seminu e extremamente sensual que se encontrava à minha frente. Era só o Nicholas Sparks, um dos meus escritores preferidos de sempre.

Enquanto olhava para ele, sem saber muito bem o que dizer, pensava quais seriam as probabilidades de ficar fechada num elevador com o Nicholas Sparks. Só então percebi que não era de todo impossível, dado que eu tinha viajado até à capital para uma sessão de autógrafos com ele.
Depois do embaraço inicial, aproveitei a oportunidade de o ter todo para mim e, disse-lhe, entusiasmadíssima, que era uma enorme fã dele. Disse-lhe que tinha lido todos os seus livros, alguns mais do que uma vez, e que chorara em quase todos.
Por fim, coloquei-lhe quatro questões:
- Onde arranja inspiração para as suas histórias?
- Já está a trabalhar num novo romance? Pode adiantar-me, em primeira mão, de que tema trata?
- Há algum tema que nunca tenha abordado nos seus livros, mas que gostaria muito de o fazer?
- Qual o principal conselho que daria a um fã que deseje iniciar-se na aventura da escrita?

Gostei imenso de responder a este desafio! Que venha o próximo livro!

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Antologia | "Um Toque de..." de Ana C. Nunes [Opinião]


Um Toque de... é uma antologia de contos que a autora Ana C. Nunes escreveu entre 2008 e 2014.

São pequenos contos, de leitura fluida, que se lêem bem rápido e ajudam a passar o tempo. Alguns dos contos retratam situações que acontecem na vida real e certamente muitos leitores se identificarão com estas histórias.

Gostei particularmente do conto Rotina que mostra como os pequenos hábitos e rotinas que adquirimos ao longo da vida desempenham um papel importante, embora nos pareçam insignificantes.
Também gostei do conto Os Dois Lobos, embora gostasse de ter visto a história mais desenvolvida. Acabei por ficar um bocadinho confusa com o final.

No geral, só fiquei mais desiludida porque esperava histórias maiores, e alguns contos são mesmo pequeninos. Ler esta antologia acabou por saber a pouco, apesar de me ter permitido alguma distração.

Classificação: 2/5 estrelas

Palavras Sentidas


"O tempo é uma realidade elástica. É a primeira coisa de que tomamos consciência numa situação em que não vemos a luz do dia, não temos relógio nem qualquer outra maneira de medir a duração de uma segundo em comparação com o de outro."

A Mulher do Camarote 10
Ruth Ware

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

"A Chama ao Vento" de Carla M. Soares [Opinião]


A Chama ao Vento é o segundo trabalho de Carla M. Soares que tenho oportunidade de ler. A autora já conta com quatro trabalhos publicados, dos quais li Alma Rebelde, em 2012.

Ultimamente, tenho-me aventurado a ler mais e-books (sabem que eu tenho uma relação difícil com e-books; por muito prático que seja ler um livro em formato digital, que não ocupa espaço nenhum, continuo a acreditar que não oferecem aquele prazer único de folhear as suas páginas, de senti-lo nas nossas mãos). Assim, decidi ler A Chama ao Vento, que só está publicado em formato e-book, e seria uma pena não o ler por causa disso.

O livro inicia-se com um prólogo enigmático, em que o corpo de um desconhecido é atirado ao mar, de um hidroavião que sobrevoa o Atlântico.

Seguidamente, é-nos apresentado Francisco, um homem atraído a uma casa onde viveu na infância, antes de ser abandonado pela mãe e deixado aos cuidados da avó, uma senhora calma e completamente apagada de vida.
Francisco não está preparado para enfrentar o passado mas tudo muda quando é abordado por João Lopes, um senhor de idade que se dispõe a contar-lhe a história da avó Carmo.

Assim, Francisco e nós leitores, somos transportados para uma Lisboa do século XX, que acolhe todo o tipo de estrangeiros que fogem da 2ª Guerra Mundial em busca de um refúgio seguro noutro lugar.

Confesso que início do livro estava a ser de mais difícil leitura devido à personalidade de Francisco, aos seus medos em descortinar o passado e a toda a insegurança por estar a perder o controlo de si próprio.

A história da avó Carmo cativou-me de imediato e rapidamente me senti agarrada e curiosa por descobrir o que transformara aquela jovem apaixonada e cheia de vida na idosa apática e apagada que Francisco sempre conhecera.

A narrativa está bem estruturada, alterna entre passado e presente e caracteriza bem a época histórica, sem se tornar exaustivo, dado que não se trata de um romance histórico.

A autora escreve muito bem e esse é um dos aspetos positivos do livro. A escrita é cuidada, bem trabalhada e madura. Há apenas algumas gralhas ao longo do livro, mas nada de preocupante, nem capaz de interferir na leitura. Talvez precisasse de mais revisão, de ser lido por outros olhos que detetam mais facilmente estas falhas do que o próprio autor.

Em conclusão, é uma história deliciosamente bem escrita e de uma autora que merece ser lida. Mesmo que não sejam apreciadores de e-books, não descartem a possibilidade de ler este livro. Prometo que ficarão surpreendidos e com curiosidade de explorar outras obras da autora.

Classificação: 4/5 estrelas

domingo, 17 de setembro de 2017

Postais pelo Mundo | Rússia (16)

Hoje voltamos aos postais oficiais, que recebi ainda durante o verão.

Este veio da Rússia e mostra-nos uma bela paisagem da Crimeia, uma península situada a norte do Mar Negro, pelo qual é cercada quase completamente.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]


O projeto do empréstimo surpresa acelerou durante o mês de agosto e agora promete abrandar um pouco, sem pressas para ler os livros. A Silvana já recebeu um novo livro meu, para se entreter durante os próximos dias.

Aqui está o livro escolhido:


Motivos da minha escolha:

  • É uma nova autora para a Silvana conhecer;
  • Foi um nos melhores livros que li no ano passado; é uma história intensa escrita de forma fascinante;
  • Estou com mais fé de que este livro consiga encher as medidas da Silvana e que, desta vez, ela não sinta tanta necessidade de implicar com tudo (o meu coração não vai aguentar se ela desatar a falar do livro!).
  • Sobretudo, porque é uma história realmente boa, e as boas histórias devem ser partilhadas.

Boa leitura e espero que gostes!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Palavras Sentidas


"As plantas precisam de ser amadas da maneira certa para sobreviverem. O mesmo acontece com os humanos. Desde o nascimento, contamos com que os nossos pais nos amem o suficiente para nos manterem vivos. E se os nossos pais nos derem o tipo certo de amor, acabamos por nos tornar seres humanos melhores."

Isto Acaba Aqui
Colleen Hoover

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Top Ten Tuesday | Melhores livros que li no ano em que criei o meu blog


O tema desta semana convida-nos a escolher um tema livre, desde que se relacione com livros ou leituras do passado. Eu decidi mostrar-vos os 10 melhores livros que li no ano em que criei o meu blog.
O meu blog nasceu em junho de 2012, pelo que vou considerar todos os livros que li ao longo desse ano.

Aqui estão, sem ordem de preferência, os melhores livros que li em 2012:

1. Calafrio (Sandra Brown)

2. Darling Jim: O Lado Negro da Sedução (Christian Mørk)


3. A Rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo (Stieg Larsson)

4. Fortaleza Digital (Dan Brown)


5. A Prisão do Silêncio (Torey Hayden)

6. Peripécias do Coração (Julia Quinn)


7. A Lenda de Despereaux (Kate DiCamillo)

8. Dei-te o Melhor de Mim (Nicholas Sparks)


9. A Rapariga que Roubava Livros (Markus Zusak)

10. As Regras da Sedução (Madeline Hunter)