segunda-feira, 21 de agosto de 2017

"Os Falsários" de Bradford Morrow [Divulgação]

Título Original: The Forgers
Autor: Bradford Morrow
Edição: 2017
Editora: Clube do Autor
Páginas: 264
PVP: 17,00€

Nas livrarias a 24 de agosto.

Na tradição dos policiais de Agatha Christie e Arthur Conan Doyle, um romance misterioso e profundo sobre o fascínio do colecionismo e o lado sombrio do comércio de livros raros.

«Bradford Morrow é uma das grandes vozes literárias da América.»
Publishers Weekly

«Um excelente romance que mantém o leitor a interrogar-se sobre a verdade dos factos até ao fim do livro.»
The Washington Post

Sinopse:
 
O que acontece quando mentimos tão bem que perdemos a noção do que é real? Numa prosa magnificamente cuidada, Bradford Morrow traça uma linha débil entre o devaneio e a intuição, a memória e a ficção autoilusória, entre o amor verdadeiro e o falso.

Uma comunidade bibliófila é abalada com a notícia de que Adam, um colecionador de livros raros, foi atacado e as suas mãos decepadas. Sem suspeitos, a polícia não consegue avançar no caso, e a irmã procura desesperadamente uma pista.

Ao longo das páginas repletas de mistério e simbologias, escritores famosos e citações brilhantes, Will, cunhado e colega de profissão de Adam Diehl, tenta obter uma resposta e, ao mesmo tempo, escapar às ameaças do misterioso «Henry James». Consciente do simbolismo do caso, ele sabe que um homem sem mãos se vê privado do instrumento mais precioso quando se trata de imitar a caligrafia de William Faulkner, James Joyce, Conan Doyle e outros que tais. Na verdade, Will, ele próprio genial falsário, talvez saiba demais.

Os Falsários, é um romance astucioso e original, que combina na perfeição uma escrita clássica e um tom mordaz.


Sobre o autor:

BRADFORD MORROW nasceu em Baltimore, nos Estados Unidos, a 8 de abril de 1951, e vive atualmente em Nova Iorque.

Professor de Literatura na Bard College, é autor de romances, ensaios, poesia e livros para crianças, e fundou a conceituada revista literária Conjunctions. Ao longo da sua carreira, foi distinguido com vários prémios, entre os quais o Guggenheim Fellowship, o PEN/Nora Magid Award for Edition, o Pushcart Prize e o Academy Award in Fiction.

Saiba mais sobre o autor em www.bradfordmorrow.com

domingo, 20 de agosto de 2017

Postais pelo Mundo | Áustria (2)

Aqui está mais um postal oficial que recebi recentemente. Este é especial porque foi o 100º postal oficial que recebi.

Veio da Áustria e apresenta o famoso Palácio de Schönbrunn, também conhecido como o Palácio de Versalhes de Viena. É considerado um dos principais monumentos históricos e culturais da Áustria e está classificado como Património da Humanidade pela UNESCO.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Palavras Sentidas


"Há inúmeras formas de se expressar a saudade de alguém, o murro absurdo que constitui a perda de alguém."

O Funeral da Nossa Mãe
Célia Correia Loureiro

terça-feira, 15 de agosto de 2017

"Reencontro com o Amor" de Melissa Pimentel [Opinião]


Este livro chegou cá a casa no âmbito do projeto Empréstimo Surpresa e prometia uma leitura leve e descontraída.

A história centra-se no reencontro de um amor passado. Dez anos após terem terminado o namoro, Ethan e Ruby voltam a encontrar-se no casamento da irmã de Ruby. Será que ainda existem sentimentos entre os dois? Poderão eles retomar a sua história de amor passados tantos anos?

A narrativa vai intercalando presente e passado: no momento presente assistimos ao reencontro das personagens e à preparação para o casamento, e a parte do passado mostra-nos todos os momentos desde que eles se conheceram até às razão pelas quais o namoro terminou.

O livro é muito divertido, permite-nos bastantes gargalhadas e, no meu caso, revirar de olhos, devido às futilidades de Piper, a irmã de Ruby. Achei-a completamente ridícula, fútil até dizer chega e com atitudes muito infantis para a sua idade. Talvez a autora tenha exagerado propositadamente na sua caracterização mesmo por se tratar de um livro deste género.

Ao fim de algum tempo, começou a ser mais fácil aceitar estas personagens e pude concentrar-me na história. Gostei bastante da parte do passado, que acabou por me cativar mais.

No presente, gostava que tivesse havido maior interação entre Ruby e Ethan, que passavam quase todo o tempo a evitar-se. O final foi romântico, porém soube a pouco, resolvendo-se tudo apenas com uma conversa.

Em conclusão, posso afirmar que é um livro divertido, com um tom descontraído, ótimo para levar para a praia por não ser uma leitura exigente. Certamente será um bom companheiro para as vossas férias.

Classificação: 3/5 estrelas

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

"A Mulher do Camarote 10" de Ruth Ware [Opinião]


A Mulher do Camarote 10 é o primeiro romance de Ruth Ware que tive oportunidade de ler, e devo desde já agradecer à editora Clube do Autor por me ter proporcionado esta oportunidade.

Este romance apresenta uma premissa desde logo interessante: como encontrar um assassino, se ninguém acredita que houve um crime?

A jornalista Laura Blacklock é convidada para acompanhar a viagem inaugural do cruzeiro de luxo Aurora Borealis, onde estarão empresários e pessoas influentes da sociedade.
Tudo ganha outros contornos quando ela testemunha o que acredita ser um crime, no camarote ao lado do seu. Porém, quando tenta denunciar a situação, ninguém acredita nela, dado que todos os passageiros continuam a bordo. Se continuar a investigar, Laura poderá pôr em risco a sua carreia e a sua vida...

Laura é uma personagem extremamente bem construída. Para começar, foi assaltada dois dias antes de embarcar nesta viagem, pelo que ainda se sente assustada. Tem dormido mal e, para piorar a situação, tem um problema com a bebida. Na noite em que testemunha o crime, também tinha bebido demais e estava exausta devido a várias noites sem dormir. Como se pode compreender, não é uma testemunha muito fiável, pelo que o responsável a quem tenta denunciar o caso tem algumas reservas em acreditar nela.

À medida que vai investigando, percebe que todos os passageiros continuam a bordo. O que será que aconteceu então? Será que imaginou tudo ou aconteceu mesmo um crime?

Este thriller é marcado por um ambiente de confinamento, dado que tudo se passa no navio. Há momentos extremamente claustrobóficos e de tensão constante. A autora consegue uma narrativa em que se sente, ao virar de cada página, a sensação de perigo iminente, de que algo está sempre prestes a acontecer.

Há muitas personagens que podem ser suspeitas deste crime, não as conhecemos bem, portanto é possível desconfiar de todas. Eu não consegui desvendar todo este mistério, cada vez mais empolgante, até ele ser finalmente explicado.

Em suma, este é um thriller entusiasmante e surpreendente, ótimo para os dias quentes de verão. Não percam a oportunidade de conhecer o mais recente trabalho de Ruth Ware.

Classificação: 4/5 estrelas

Nota: Este livro foi-me cedido pela editora em troca de uma opinião honesta. 

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Livro Recebido]


Já recebi mais um livro da Silvana, no âmbito do nosso fantástico projeto conjunto.

Aqui está o livro recebido:


Foi uma boa surpresa e gostei da escolha da Silvana. Parece ser uma leitura bastante ligeira e que ajudará a descontrair. Vamos lá ver se é isso que o livro me oferece.

Obrigada Silvana!
Podem passar no blog dela para conhecerem as suas razões de me ter enviado este livro.

domingo, 13 de agosto de 2017

"Isto Acaba Aqui" de Colleen Hoover [Opinião]


É sempre uma emoção quando é publicado um novo livro da Colleen Hoover.
Isto Acaba Aqui foi apresentado como o livro mais ambicioso da autora e que retrata o tema sensível da violência doméstica. Quando foi publicado em Portugal, o livro andava na boca dos leitores e eu não consegui sentir-me indiferente a esta curiosidade.

Tinha expectativas altas em relação a este livro, tal como tenho tido com romances anteriores da autora, desde que a conheci e me tornei fã.

A história começa de forma normal, dando-nos a conhecer Lily, uma jovem que, aos 23 anos, se mudou para Boston, pronta para começar uma vida e ter a sua independência.
Este é um aspeto comum em todos os livros que já li da autora: a personagem principal muda-se sempre para uma nova cidade, para começar uma vida nova ou fugir a algum acontecimento do passado.
É no terraço de um edifício que conhece Ryle, um neurocirurgião, bonito, inteligente, perfeito. Quase bom demais para ser real. Lily está convencida de que não o voltará a ver depois dessa noite e retoma a sua vida. Contudo, meses mais tarde, as suas vidas voltam a cruzar-se.

A autora dá-nos a conhecer personagens muito carismáticas. Gostei imenso do casal secundário - Allysa e Marshall. São divertidos e a Allysa é um doce de pessoa e tornou-se uma verdadeira amiga para Lily.
Quanto ao casal principal, achei Lily uma personagem com traços fortes, independente, lutadora e corajosa. Adorei ver o seu empenho em concretizar o seu sonho de abrir um negócio próprio, e como foi ousada em cada passo. A sua força revela-se também na forma como enfrentou as adversidades da vida, nomeadamente quando começou a ser maltratada fisicamente. Lily sofreu muito, mas também recebeu muito apoio por parte dos amigos e da mãe.
Por sua vez, Ryle não me cativou da forma como esperava, talvez por este livro só apresentar o ponto de vista de Lily, o que fez com que me sentisse mais ligada à personagem feminina, a todos os seus medos, dúvidas e emoções.
Por fim, o Atlas foi uma das personagens mais incríveis que já encontrei nas minhas viagens literárias. Apaixonei-me por ele quase desde o primeiro instante e enterneceu-me ver a dedicação e amor que ele tinha a Lily.

Embora as personagens sejam jovens adultos, este livro é bastante mais adulto que outros romances da autora. O tema da violência doméstica é retratado de uma forma credível e forte, mostrando-nos a devastação que pode provocar na vida das pessoas. Mais uma vez, a autora escreve com muita emoção, o que também se deve ao facto de este ser um livro mais pessoal, com aspetos baseados na vida dos pais da autora.

É um romance poderoso e extremamente inspirador, com uma narrativa intensa, que nos faz pensar em nós - nas consequências das nossas ações, no que somos capazes de suportar - e nos outros - nomeadamente na forma como tão facilmente julgamos a vida das outras pessoas estando a ver as situações de fora. Uma história incrível, que deveria ser lida por homens e mulheres. Absolutamente recomendado!

Classificação: 5/5 estrelas

Postais pelo Mundo | Turquia (2)

Hoje tenho para vos mostrar mais um postal bem interessante.

Veio da Turquia e apresenta três fotografias.


Na fotografia da esquerda podemos ver Eyüp Sultan Camii - uma mesquita otomana situada em Istambul.

À direita, em cima, vemos Kiz Kulesi - a Torre de Leandro, ou também conhecida como Torre da Donzela, é uma construção histórica situada em Istambul e ocupa uma ilhota do estreito do Bósforo, ao largo de Üsküdar. Durante séculos foi usada como farol, mas entretanto o seu interior foi transformado num café e restaurante com vistas magníficas.
 
Por fim, a foto de baixo mostra-nos Haydar Paşa Gari - era a principal estação ferroviária do lado asiático de Istambul. Atualmente não é usada, mas permanece como um ícone da cidade.

sábado, 12 de agosto de 2017

"A Luz da Noite" de Graham Moore [Divulgação]

Título Original: The Last Days of Night
Autor: Graham Moore
Edição: 2017
Editora: Suma de Letras
Páginas: 488
PVP: 19,90€

Um romance emocionante baseado em factos históricos sobre a criação da lâmpada.

«Puro entretenimento... Um romance histórico rico em pormenores.»
The New York Times Book Review

«Fascinante, inteligente e absolutamente vívido... um romance com um excelente trabalho de pesquisa e infinitamente divertido, que o vai deixar empolgado.»
Gillian Flynn

Sinopse:

Nova Iorque, 1888. Lâmpadas a gás piscam ainda nas ruas da cidade, mas o milagre da luz elétrica está a nascer. Um jovem advogado sem experiência, Paul Cravath, aceita um caso que parece impossível de ganhar. O cliente de Paul, George Westinghouse, foi processado por Thomas Edison, o inventor da lâmpada elétrica, que defenderá a sua patente com unhas e dentes. Mas, então, quem inventou a lâmpada e detém o direito de iluminar a América?

Este caso abre o caminho a Paul para o mundo inebriante da alta sociedade - as brilhantes festas no Gramercy Park Mansions e as relações mais insidiosas feitas à porta fechada. Ao mesmo tempo, coloca-o também no caminho de Nicola Tesla, o excêntrico e brilhante inventor, e de Agnes Huntington, uma cantora de ópera e uma artista impecável tanto dentro como fora de cena. Edison é um astuto e perigoso inimigo com vastos recursos à sua disposição - espiões privados, meios de comunicação e o apoio financeiro do próprio J.P. Morgan. Mas este desconhecido advogado partilha com o seu famoso adversário uma compulsão por vencer, custe o que custar.

A história fala desta luta, mas Graham Moore, o famoso guionista do oscarizado O Jogo da Imitação, conta-a com tal pormenor que parece que também nós estamos ali, entre fórmulas matemáticas e cabos, nas grandes festas de Nova Iorque, assistindo em primeira mão a um espetáculo onde brilharam a luz e a inteligência... E isto só é possível nos grandes romances.

Sobre o autor:

GRAHAM MOORE, escritor de sucesso e realizador, vive em Los Angeles. O seu guião de O Jogo da Imitação, para além de vencer o Óscar para o melhor guião adaptado, foi nomeado para um BAFTA e um Globo de Ouro.

O Homem que Matou Sherlock Holmes é o primeiro romance de Graham Moore, que foi traduzido para 15 línguas. Foi considerado “sublime, inteligente e delicioso” pelo The New York Times, “informado e divertido” pelo Los Angeles Times, e recebeu muitas outras críticas positivas nos diferentes países onde foi publicado.

A Luz da Noite é o seu mais recente romance e já se está a trabalhar na adaptação para o cinema, que terá Eddie Redmayne no papel de Thomas Edison.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Passatempo de Verão

Olá a todos!
No mês de junho não fiz nenhum passatempo para comemorar o aniversário do blog, por falta de tempo, por isso decidi organizar agora um passatempo de Verão.

Vou oferecer o livro O Crente, do autor Joakim Zander. Podem ler a minha opinião aqui.


Como se podem habilitar a ganhar este livro?

É muito simples. Só quero que me digam que livro recomendam aos leitores que levem este verão para a praia. Partilhem comigo esse livro imperdível que todos deveriam ler.

Depois irei partilhar as respostas, para que todos os leitores tenham acesso às vossas recomendações.

Regras:

- O passatempo inicia-se hoje e termina dia 20 de agosto, às 23h59.
- Uma participação por pessoa.
- O sorteio será efetuado no Ramdom.org.
- O vencedor será publicado no blog e contactado por e-mail, tendo 48h para responder, indicando a morada para envio do prémio.
- São aceites publicações de Portugal Continental e Ilhas.
- O envio do prémio ficará a meu cargo (não me responsabilizo por extravios nos CTT).

"O Jardim das Borboletas" de Dot Hutchison [Divulgação]

Título Original: The Butterfly Garden
Autora: Dot Hutchison
Edição: 2017
Editora: Suma de Letras
Páginas: 320
PVP: 17,50€

NUNCA A BELEZA
FOI TÃO ASSUSTADORA...

Sinopse:

Perto de uma mansão isolada, encontra-se um belo e luxuriante jardim com flores exuberantes, árvores frondosas e... uma coleção de preciosas «borboletas». Jovens mulheres sequestradas e tatuadas para se parecerem as suas homónimas. Quem toma conta deste estranho lugar é o aterrador Jardineiro, um homem retorcido, obcecado com a captura e a preservação dos seus espécimes únicos.

Quando o Jardim é descoberto pela Polícia, uma das sobreviventes é interrogada. Os agentes do FBI Hanoverian e Eddison têm a tarefa de juntar as peças de um dos quebra-cabeças mais complicados das suas carreiras. A menina, cujo nome é Maya, ainda se encontra em choque e o seu relato está cheio de episódios arrepiantes, no limite da credibilidade. Tortura, todas as formas de crueldade e privação pareciam estar na agenda da estufa dos horrores, mas no testemunho da jovem há lacunas e reticências... Maya continua a sua terrível história e os agentes do FBI precisam de descobrir quem, ou o quê, Maya tenta esconder...

À medida que a verdade emerge devagar de um casulo cuidadosamente construído, Dot Hutchison faz com que nos questionemos se este é um conto de beleza terrível ou um lindo conto de terror.

Sobre a autora:

DOT HUTCHISON é autora de livros para jovens adultos; estreia-se no mundo da ficção para adultos com o aterrorizador thriller O JARDIM DAS BORBOLETAS. Classificado pelos leitores de todo o mundo como o thriller mais aterrador que leram nos últimos tempos, tão sinistro quanto O Silêncio dos Inocentes e tão cativante como O Coleccionador de Ossos.
Os direitos foram vendidos para treze línguas e os direitos para o cinema estão em opção com duas produtoras especializadas em filmes de terror.

Saiba mais sobre a autora em: www.dothutchison.com

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Palavras Sentidas


"Os verdadeiros amantes são como os amigos, reconhecem-se quando se encontram pela primeira vez."

A Mãe Eterna
Betty Milan

domingo, 6 de agosto de 2017

Postais pelo Mundo | Índia (1)

Aqui está mais um postal oficial que alegrou a minha caixa do correio.

Este veio da Índia e deixou-me exultante por ser o primeiro postal que recebo deste país.
O postal mostra-nos uma imagem de uma pintura do artista  Sourabh Bhat.


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

"Estrada Vermelha, Estrada de Sangue" de Moira Young [Opinião]


Já andava com saudades de ler algo do género distopia, um género que me agrada imenso. Na verdade, adoro tudo o que seja futurista e, quanto mais criativo, melhor.

Estrada Vermelha, Estrada de Sangue é o romance de estreia de Moira Young e passa-se num período pós-apocalíptico e muito violento. Saba é uma jovem que sempre viveu numa zona inóspita e deserta. A sua vida muda quando uma tempestade de areia traz consigo um bando de criminosos, que lhe matam o pai e raptam Lugh, o irmão gémeo que tanto adora. Sozinha com a irmã mais nova, Saba parte numa perigosa viagem, em busca do irmão.

O primeiro aspeto que chama a atenção neste livro é o estilo de escrita, com a ausência de pontuação nos diálogos e uma linguagem estranha, quase com erros ortográficos e como se estivéssemos na presença de pessoas sem escolaridade.
No início, estranha-se um pouco, contudo, ao fim de quarenta páginas, já conseguia ler de forma totalmente fluida. À medida que ia conhecendo este mundo, fui percebendo que esta forma de falar é característica das personagens, que vivem num mundo destruído, com grandes áreas desertas e onde os livros e saber ler é considerado algo "antigo". Além disso, as personagens têm uma espécie de sotaque que só é percetível na edição inglesa, na nossa tradução perdeu-se esse pormenor.
A falta de pontuação dos diálogos, embora pareça confusa no início, não perturba em nada a leitura.

A narrativa está bem estruturada e conduz o leitor numa viagem por um mundo violento. A ação é constante, está sempre alguma coisa a acontecer, pelo que este é um livro extremamente empolgante e de leitura compulsiva.

Apesar da autora não explicar como é que o mundo chegou a este estado, toda a história é bastante original e rica em criatividade. As minhas partes preferidas, que me deixaram mesmo agarrada ao livro, foram as cenas passadas na jaula, as lutas e a fuga; assim como a grande luta com os vermes no enorme lago seco.

Há personagens cativantes e outras que nos provocam ira e nojo. Gostei da coragem de Saba, embora achasse que ela andava irritada o tempo todo; adorei o Jack e gostei ainda mais da evolução da relação de Saba com a irmã.

No geral, foi uma leitura extremamente positiva, e só não atribuo 5 estrelas porque não gostei do vilão, achei-o demasiado louco, estúpido e não me convenceu.

Tenho pena que os volumes seguintes da série não estejam publicados em Portugal, pois adoraria poder ler a continuação. Infelizmente, quando determinado livro não vende tanto, as editoras desistem de publicar a restante série, para tristeza dos leitores que apreciaram o início da história.

Se gostam de ficção científica e distopias, não percam a oportunidade de ler este livro. Tenho a certeza de que se vão sentir  cativados do início ao fim.

Classificação: 4/5 estrelas

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Livro do Mês: Junho e Julho

No mês passado não elegi o livro do mês devido ao facto de só ter conseguido ler três livros. Assim, decidi juntar os meses de junho e julho, em que li, no total, 8 livros.

Foram dois meses de leituras variadas, desde policial/thriller, distopia, jovem adulto, romance de época, romance contemporâneo e fantasia.

Estava indecisa em relação ao livro a escolher, são géneros muito diferentes e, no geral, todas as leituras foram boas. Assim, decidi escolher o mais recente romance do Nicholas Sparks que, mais uma vez, me comoveu com uma história que retrata os desafios de ser pai solteiro e a importância da família.

LIVRO DO MÊS


quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Palavras Sentidas


"- Pensar em ti manteve-me quente em muitas noites geladas."

A Melodia do Amor
Lesley Pearse

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Aquisições: Julho

Julho terminou e foi outro mês que passou a correr. Tal como o anterior, foi um mês excelente no que diz respeito a aquisições literárias.
Querem ver o que adquiri?

- Este mês fui a duas Feiras do Livro: a de Barcelos e a de Viana do Castelo. Comprei sobretudo livros da coleção Sherlock Holmes, mas também encontrei outros dois bons livros a preços ótimos.

FEIRA DO LIVRO





- Das editoras Clube do Autor e Nuvem de Tinta (Penguin Random House Grupo Editorial) chegaram-me estas duas surpresas. Agradeço a ambas pela oferta!
Tentarei ler e publicar as respetivas opiniões assim que me for possível.

OFERTA EDITORA


- Por fim, uma prenda de aniversário que chegou mais atrasada mas que me deixou radiante. Estou ansiosa por ler o novo romance da Paula Hawkins.

PRENDA DE ANIVERSÁRIO


E o vosso mês, como correu em termos de aquisições? Partilhem comigo.